Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Post mortem

Post mortem

03
Ago17

O destino que ficou a meio


No dia em que o nosso olhar se cruzou, eu soube. Soube-o desde o mais fundo das minhas entranhas à raiz dos meus dedos: nós éramos o futuro e o destino que sempre esperei e nunca imaginei. No dia em que partiste, tive a certeza que este era um destino que tinha ficado a meio.

Acredito nas coisas que me fazem sentido, como o Karma, o amor, o destino.. sempre soube que tinha um papel na tua vida, um papel que nem sempre desempenhei e que apesar de tudo, acredito ainda não tenha terminado. Tu não és menos. Tu tinhas um papel maior na minha vida, tu tiveste o papel de me atirar aos lobos sem que eu desse por ela para que pudesse provar a mim mesma que sou capaz daquilo que eu quiser. Tiveste o papel de me fazer perder de mim para me encontrar e me tornar maior, mais forte, mais amada e mais feliz.

Um dia fez-nos confusão o que a nossa relação era: estranha, apaixonada, intensa e descabida. Descobrimos que, afinal “that’s what happens when a tornado meets a volcano” e percebemos que tudo estava certo, mesmo quando era um caos. Tu eras o meu caos, eu era o teu. Cansámo-nos as almas com um propósito maior que nos fugiu das mãos que era o de crescermos e sermos mais fortes.

Foste o furacão maior que a minha vida já se viu obrigado a enfrentar. Foste o maior caos. Foste, mesmo assim, a melhor lição. Destruíste-me completamente por um bem maior, para um propósito que tinha de se concretizar: o de me encontrar. Deitaste por terra as convicções, as certezas, erradicaste o amor que te tenho para que pudesse encontrar o meu amor por mim. Lavraste-me a alma sem plantar nada nela. Deixaste-me vazia, levaste tudo contigo e tive de começar do zero. Tu, meu furacão, minha explosão de amor. Tu, meu mundo inteiro.

Mataste-me para que pudesse renascer, voltar a aprender quem sou, de onde vim, o que quero e para onde vou. Como não te amar por isso?

Tu és tudo. És amor, és destruição. Tu és a tempestade mais feliz. És a dor mais calma e és a saudade mais presente. Tu és um mundo inteiro mesmo estando perdida. És a contradição com mais sentido. És, como sempre te disse, o meu amor maior, o meu amor mais feliz.

Perdi-te para me encontrar. E tu,(já) sabes quem és? Sabes o que queres? Sabes que no fim, tudo se vai resumir a nós e ao tempo que perdemos juntas?

No fundo, somos um destino que ficou a meio, mas que ainda teima em terminar.

 

“Now I know we said things, did things that we didn't mean and we fall back into the same patterns, same routine. But your temper's just as bad as mine is, you're the same as me but when it comes to love you're just as blinded. Baby, please, come back, it wasn't you, baby, it was me, maybe our relationship isn't as crazy as it seems, maybe that's what happens when a tornado meets a volcano. All I know is I love you too much to walk away though”

Mais sobre mim

foto do autor